Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Antes de conhecer a História do Automóvel no Brasil, vamos falar um pouco sobre o início desta grande jornada.

A história do automóvel começou lá em 1885, quando o primeiro carro a se locomover com combustão a gasolina foi criado. Um alemão que atendia pelo nome de Karl Benz criou o primeiro modelo (foto em destaque), chamado de Motorwagen mas, foi em 1976 que os primeiros protótipos e experimentos de carros começaram a acontecer a todo vapor. As experiências deram início com motores que atingiam de 2 a 3,5 km/h em carroças adaptadas com 3 ou 4 rodas, um grande avanço para época.

A história do automóvel no Brasil começou na década de 20, onde a importação de carros já era uma rotina bem divulgada. A Ford tinha iniciado a montagens dos seus carros em São Paulo em 1919 e a General Motors fez o mesmo logo em seguida, no ano de 1925. A montagem dos carros importados retomou a rotina no ano de 1946, mas alguma coisa havia mudado. A necessidade de improvisar peças necessárias para reposição durante o triste período da guerra, obrigou o nascimento de uma pequena indústria de autopeças, encorajando os entusiastas que já pensavam em modelos de carros produzidos no Brasil.

História do automóvel no Brasil e porque você deveria conhecê-la (2)

Os investidores e empresários que viveram nesta época afirmam que foi um período determinante para o setor de autopeças. As importações indiscriminadas encerravam com as reservas cambiais e o balanço de pagamentos estava a ponto de esgotar. No ano de 1952 o Brasil atingiu o limite, tornando-se um país sem estradas e sem transportes.

Mas, o ano de 1952 trouxe excelentes notícias! O Aviso 288, da CEXIM foi o primeiro ato governamental relativo ao setor, liberando a importação de autopeças, mas limitando o licenciamento a artigos não fabricados no Brasil. Outro fato importante foi a aprovação em 1952, pelo presidente da república, das conclusões da subcomissão para o estímulo da produção nacional de autopeças. Para convencer a população que não acreditava no país, foram organizadas amostras e exposições da indústria de autopeças.

Quando Juscelino Kubitschek tomou posse, a história do automóvel no Brasil voltou a ser mencionada. Um grupo de trabalho foi criado com a missão de apresentar, em 30 dias, um plano para execução do parque automobilístico no país. Em 16/06/1956 este plano foi criado, e esta data é considerada o 1º marco da história do automóvel no Brasil. Foi aí que o GEIA realmente viabilizou os esforços, os planos e as iniciativas referentes ao parque automobilístico nacional.

Os primeiros veículos no Brasil

perua DKW

Embora os primeiros carros da história do automóvel no Brasil tenham sido produzidos em 1956, a produção efetiva começou no ano de 1957.

No dia 15 de novembro de 1957, desfilava pelas ruas o primeiro carro fabricado no Brasil, a perua DKW. Não era um carro bonito, as linhas traseiras eram quadradas e totalmente diferente da parte frontal arredondada, herdada dos DKW fabricados na Alemanha. Não haviam muitas alternativas quanto à cor da pintura nem do estofamento. Mas a perua andava bem e surpreendia pelo desempenho e economia. O motor era de dois tempos e três cilindros, com tração dianteira. O câmbio tinha quatro marchas para a frente e a estabilidade era satisfatória. O consumo de gasolina era absurdamente baixo para a época.

O ano de 1959 tornou a história do automóvel no Brasil uma realidade! A perua DKW teve as suas linhas renovadas, e era vista pelas ruas, em concessionárias e podia até ser financiada. Em seguida, três lançamentos marcaram o mercado: o Renault Gordini, o Karmann-Ghia e o Interlagos. O Gordini ganhou câmbio de quatro marchas e passou a ser chamado de “40 cavalos de emoção” devido a sua boa performance. Já o Karmann Ghia usava toda a plataforma da Wolks21, com motor 1200 que chegava até 120km/h E por fim, o Interlagos: o primeiro carro nacional a ser produzido em série. Oferecia aos consumidores 3 opções de motor e chegou até a participar de provas de corrida, com a equipe Willys Oficial.

A partir daí algumas fábricas resolveram mostrar o valor dos seus automóveis em provas de corrida. A Vemag criou a Equipe Vemag Oficial, e o DWK se mostrou superior a muitos carros com potência mais elevada. A Simca, resolveu criar seu Departamento de Competições, colocando inicialmente seus Chambord na pista e a Alfa Romeo, da mesma forma, mandava de sua fábrica em Petrópolis seus JK oficiais de corrida.

A princípio, essas competições não passavam de campanhas de marketing. Todo o esforço dedicado era para promover um certo impacto na promoção de vendas

Com esse esforço, que, na realidade se traduzia em promoção indireta de vendas, as fábricas começaram, aos poucos, a criar uma opinião pública favorável quanto à qualidade de seus carros.

As novidades não pararam por aí

Chevette no brasil

A histórica do automóvel no Brasil já estava consolidada, porém, os consumidores começaram a ser exigentes. Dentro deste necessário, as montadoras começaram a investir em verdadeiras mudanças de estilo e capacidade.

Em 1973 a revolução automobilística começou. Novos modelos surgiram e fizeram história no mercado. Dentro desta mudança se destaca o primeiro carro realmente atualizado: o Chevette, da General Motors. Em seguida, a Volkswagen lançou a Brasília, com os mesmos componentes tradicionais, mas com carroceria atualizada, proporcionando um enorme crescimento para a fábrica. Esses modelos abriram a porta para tantos outros como o Maverick, Passat, Alfa Romeo e tantos outros que fizeram parte da história do automóvel no Brasil.

Texto: Pemavel Veículos/ Adaptação de texto: Agência Netshare.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
474 View